Institucional | Museu Vivo do São Bento

Museu Vivo do São Bento

Institucional

O Museu Vivo do São Bento é um Ecomuseu de Percurso. O primeiro instituído na Baixada Fluminense. Foi criado, oficialmente, pelo Executivo Municipal em 03 de novembro de 2008 (Lei de Criação do Museu Vivo do São Bento – Nº 2224 de 2008), no âmbito da Secretaria Municipal de Educação de Duque de Caxias, a partir da reivindicação dos Profissionais da Educação e dos militantes culturais caxienses.

Concebido a partir dos princípios da Nova Museologia, articula a defesa do patrimônio, a intervenção na realidade social, ambiental, econômica e cultural do território e o envolvimento das comunidades locais nessas questões, afirmando e confirmando, portanto, o sentimento de pertencimento e as ações dos sujeitos construtores do seu tempo.

Como um Ecomuseu, o Museu Vivo do São Bento é uma casa onde se guardam e se revelam muitas histórias, e como Museu de Percurso, é visitando o seu território e suas diferentes temporalidades que essas histórias são descobertas.

A partir da existência de um sítio arqueológico de população sambaquiana, pode-se experimentar um pequeno olhar sobre a era pré-cabralina. Com a história de uma fazenda que inaugurou o projeto de colonização lusitana nas cercanias da Guanabara, transformando-se posteriormente em unidade produtiva do Mosteiro do São Bento, no Rio de Janeiro, visita-se o período escravista brasileiro. Conhecendo as ações realizadas pelas comissões de saneamento e as políticas ruralistas instituídas pelo Ministério da Agricultura, em particular a implantação do Núcleo Colonial São Bento, viaja-se até as décadas de 20 e 30, do século passado. E, com as ocupações mais recentes, vive-se, construindo e reconstruindo, o Tempo Presente.

Há mais de 20 anos o atual percurso do Museu Vivo do São Bento é visitado por alunos, professores, moradores, pesquisadores, brasileiros e estrangeiros, que, transitando pelas diferentes marcar deixadas pelos homens, realizam um esforço de leitura dos vestígios materiais e do próprio território, decifrando, interpretando e afirmando a importância desses lugares de memória como bens históricos e culturais, como patrimônio a ser preservado.

EQUIPE

DIRECÃO EXECUTIVA

Alexandre dos Santos MarquesCoord. de Projetos e Assuntos Institucionais
Antônio Augusto BrazDireção do Museu Vivo do São Bento, Coord. do Programa de Formação de Professores e Pesquisa
Arilson Mendes SáCoord. Administrativa CRPH e Coord. do Projeto Achadouros
Aurelina de Jesus Cruz CariasCoord. Geral do CRPH, Coord. do Cineclube, e Acompanhamento da Rede de Museologia Social do Rio de Janeiro (REMUS-RJ)
Flavia Andreia Paes LeiteCoord. Geral de Programas e Coord. do Programa Mulheres Artesãs
Marlucia Santos SouzaDireção do Museu Vivo do São Bento, Coord. do Programa de Formação de Professores e Pesquisa
Nielson Rosa BezerraCoord. de Pesquisas e Arquivo e do Programa de Formação de Professores
Paulo Pedro da SilvaDepartamento Pessoal, Coord. das Guias do Percurso e Acompanhamento da Rede de Educadores de Museus do Rio de Janeiro (REM)
Risonete Martiniano de NogueiraCoord. do Programa Jovens Agentes do Patrimônio e Expografia

EQUIPE DE APOIO À PESQUISA E AO TRABALHO PEDAGÓGICO

Dayse GuilherminaPrograma de Formação de Professores
Débora Nunes Cavalcanti Dinamização do Arquivo, apoio as Guias do Percurso e Acompanhamento da Rede de Educadores de Museus do Rio de Janeiro (REM)
Rosenilda Santos da SilvaDinamização do Arquivo, apoio as Guias do Percurso e Acompanhamento da Rede de Museologia Social do Rio de Janeiro (REMUS-RJ)

EQUIPE DE TECNOLOGIA E COMUNICACÃO

Filipo da Silva TardimAudiovisual, Registro Fotográfico e Coord. de Tecnologias da Informação e Comunicação
Leear Martiniano de SousaDesigner

EQUIPE ADMINISTRATIVA

Débora Cristina VieiraApoio
Edimilton Raimundo dos SantosVigia do Sambaqui
Paulo Roberto Reis DiasVigia Noturno
Roseilson Marques de AlmeidaVigia Noturno
Sandra Guimarães AndréGuia do Percurso